terça-feira, 11 de abril de 2017

2017

Aloooou!!! Pois é, então...

Estamos um pouco atrasados, mas vamos começar as postagens deste ano em nosso blog. Nos arquivos de 2016 vocês verão algumas músicas e trabalhos do ano passado.

Coincidentemente a postagem de baixo mostra a horta vertical do ano passado. Pois é, olhem quantas garrafas, foram 130!!!

Este ano, até agora, arrecadamos apenas 50 :(

Espero a colaboração de vocês!

É isso aí, valeu!

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Richard da Pororoca

Grande descoberta do aluno Toledo

https://www.youtube.com/watch?v=0R4oa4ZwIzs

Vídeo sobre os anfíbios

https://www.youtube.com/watch?v=KYidrSy_cAQ

Música dos anfíbios


Melodia: rap bolado

Quando eu nasci era muito esquisito
Tinha cauda e me chamavam de girino
Só dentro d’água eu ficava na moral
Pois minha respiração era do tipo branquial

O tempo foi passando, meu deus como é que pode
Passei por uma tal de metamorfose
Perdi a minha cauda, ganhei quatro patas
E pulmões pra viver fora da água

Meu nome é Herbert

Herbert, Herbert (REFRÃO)

Sou carnívoro e detono os insetos
Meu sistema digestório é completo
Mas não tem ânus termina em cloaca
Sai gameta, sai urina e sai a caca

No inverno, irmão a vida é dura
Eu não regulo a minha temperatura
Ela varia de acordo com ambiente
Eu não gosto nem de muito frio e nem de muito quente

Meu nome é Herbert

Herbert, Herbert

Ainda preciso viver perto da água
Minha pele é permeável e meus ovos não tem casca
Pra arrumar uma parceira se liga na fita
Eu canto melhor que o Justin Biba

Gostei de uma sapinha
E dei logo uma ideia:
Vamos fazer uma fecundação externa?

Ela disse demoro
Óvulos ela soltou
No meu abraço ela se apaixonou

Meu nome é Herbert
Herbert, Herbert

Alguns manos aqui na área são puro veneno
Andam todos coloridos, no estilo, vai vendo...
Até os predadores pagam pau
Pensam duas, três vezes pra não se dar mal

Pior sou eu, que sou um sapo verde
Sem veneno, sem cor e sem enfeite
O jeito é camuflar, me esconder bem
E não arrumar treta com ninguém

Explicação da Letra
 
Quando eu nasci era muito esquisito
Tinha cauda e me chamavam de girino
Só dentro d’água eu ficava na moral
Pois minha respiração era do tipo branquial – a maioria das espécies de anfíbio apresenta fase larval em seu desenvolvimento. Como estas larvas vivem na água, necessitam ter cauda para nadar e brânquias para respirar.

O tempo foi passando, meu deus como é que pode
Passei por uma tal de metamorfose
Perdi a minha cauda, ganhei quatro patas
E pulmões pra viver fora da água – ao longo do desenvolvimento, a larva perde a sua cauda, mas ganha quatro patas e pulmões para poder viver no ambiente terrestre. O nome desse processo de mudança é metamorfose.

Sou carnívoro e detono os insetos
Meu sistema digestório é completo
Mas não tem ânus termina em cloaca
Sai gameta, sai urina e sai a caca – os anfíbios são carnívoros e muitos comem insetos. O sistema digestório dos anfíbios é considerado completo, começa na boca e termina em uma câmara chamada cloaca, onde desembocam os sistemas digestório, urinário e reprodutor.

No inverno, irmão a vida é dura
Eu não regulo a minha temperatura
Ela varia de acordo com ambiente
Eu não gosto nem de muito frio e nem de muito quente – os anfíbios são ectotérmicos, sua temperatura corporal varia de acordo com a temperatura do ambiente.

Ainda preciso viver perto da água
Minha pele é permeável e meus ovos não tem casca
Pra arrumar uma parceira se liga na fita
Eu canto melhor que o Justin Biba – os anfíbios conquistaram o ambiente terrestre, mas ainda necessitam viver próximos a água, pois a sua fecundação é do tipo externa e seus ovos devem ser colocados na água, uma vez que não possuem casca e desidratam com o calor do sol. Muitos anfíbios vocalizam para atrair as fêmeas.

Alguns manos aqui na área são puro veneno
Andam todos coloridos, no estilo, vai vendo...
Até os predadores pagam pau
Pensam duas, três vezes pra não se dar mal – alguns anfíbios são venenosos e liberam este veneno pela pele. A maioria deles desenvolveu, ao longo de sua evolução, cores chamativas, conhecidas como cores de advertência. Os predadores aprenderam a reconhecer estes anfíbios coloridos como venenosos.

 
Pior sou eu, que sou um sapo verde
Sem veneno, sem cor e sem enfeite
O jeito é camuflar, me esconder bem
E não arrumar treta com ninguém – os anfíbios que não são venenosos e nem coloridos utilizam outra estratégia para se defender, a camuflagem. Eles buscam viver em ambientes com cores e texturas semelhantes ao seu corpo para poder se esconder dos predadores.

Música dos peixes


Melodia de Dark Horse – Katy Perry

 
Vivo no mar ou então em água doce
Vertebrado, tenho esqueleto de osso
Ou cartilagem, se eu for um tubarão
Um tubarão, um tubarão

Eu respiro por brânquias
Sou coberto por escamas
Meu coração, só tem duas cavidades
Só CO2 por ele passa

É que eu tenho o sangue frio
Que varia com o ambiente
Se preciso me esquentar
Tenho que ir pra água quente

Mas com a minha linha lateral
Eu fico ligado, na moral
E debaixo d’água eu sou o tal
Sabe quem eu sou?

Peixe, peixe, peixe... (REFRÃO)

Eu vou falar, dentro d’água é outra história
Eu flutuo, com bexiga natatória
E pra nadar, eu uso minhas nadadeiras
Nadadeira, nadadeiras

Tem uns peixes com pulmão
Tipo a piramboia irmão
E meus filhinhos
Eu chamo de alevino
Alevino, baby alevino

É que eu tenho o sangue frio
Que varia com o ambiente
Se preciso me esquentar
Tenho que ir pra água quente

Mas com a minha linha lateral
Eu fico ligado, na moral
E debaixo d’água eu sou o tal
Sabe quem eu sou?

Peixe, peixe, peixe...

 

Estudando com a música

Vivo no mar ou então em água doce
Vertebrado, tenho esqueleto de osso (peixes de esqueleto ósseo pertencem à classe osteícte)
Ou cartilagem, se eu for um tubarão (peixes de esqueleto cartilaginoso pertencem à classe condricte)
Um tubarão, um tubarão

Eu respiro por brânquias (em geral, os peixes apresentam respiração branquial)
Sou coberto por escamas (as escamas servem para proteção do peixe)
Meu coração, só tem duas cavidades
Só CO2 por ele passa (pelo coração do peixe só passa sangue rico em gás carbônico, o sangue é oxigenado nas brânquias e vai direto para as células do corpo)

É que eu tenho o sangue frio (peixes são ectotérmicos, sua temperatura corporal varia de acordo com a temperatura do ambiente em que o peixe se encontra)
Que varia com o ambiente
Se preciso me esquentar
Tenho que ir pra água quente

Mas com a minha linha lateral (a linha lateral é uma estrutura na lateral do corpo do peixe que permite a percepção da vibração da água ao seu redor)
Eu fico ligado, na moral
E debaixo d’água eu sou o tal (os peixes são totalmente adaptados à vida em baixo da água)

Sabe quem eu sou?

Peixe, peixe, peixe...

Eu vou falar, dentro d’água é outra história
Eu flutuo, com bexiga natatória (bexiga natatória é uma bolsa de ar localizada no abdome do peixe e tem função de facilitar a flutuação do animal na água)
E pra nadar, eu uso minhas nadadeiras
Nadadeira, nadadeiras

Tem uns peixes com pulmão (a classe dos dipnoicos apresenta peixes com pulmões primitivos)
Tipo a piramboia irmão (a piramboia é um exemplo de peixe pulmonado encontrado na Amazônia)
E meus filhinhos
Eu chamo de alevino (os filhotes dos peixes são chamados genericamente de alevinos)
Alevino, baby alevino

É que eu tenho o sangue frio
Que varia com o ambiente
Se preciso me esquentar
Tenho que ir pra água quente

Mas com a minha linha lateral
Eu fico ligado, na moral
E debaixo d’água eu sou o tal
Sabe quem eu sou?

Peixe, peixe, peixe...

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Resumão sobre o reino animal


O reino animal reúne seres pluricelulares, com células eucariontes e nutrição heterotrófica. Esse grupo inclui uma grande variedade de organismos, desde os muito simples, como as esponjas-do-mar, até os mais complexos, como o ser humano.
O estudo do reino animal requer a análise dos seus nove principais filos: Poríferos, Cnidários, Platelmintos, Nematelmintos, Moluscos, Anelídeos, Artrópodes, Equinodermos e Cordados.
 
Seria impossível detalhar todas as características dos filos do reino animal em apenas um ano letivo, desta forma, iremos resumir as principais características de cada um. Como sempre, iremos começar dos seres mais simples e avançar até os mais complexos, analisando as características que permanecem e as características novas, utilizadas para a adaptação ao meio a

Antes de começar, vamos aprender algumas definições:

·         Sistema digestório ausente – o animal não apresenta orgãos como estômago, figado, intestino etc. Neste caso, o alimento é FAGOCITADO (absorvido diretamente) pelas células do corpo. (lembrem-se da alimentação da ameba). Um exemplo de animal com sistema digestório ausente é a esponja-do-mar.
 
·         Sistema digestório incompleto – o animal apresenta orgãos digestórios, apresenta boca, mas não apresenta ânus. (pois é, eles absorvem o alimento pela boca e liberam suas fezes por lá também). Este tipo de sistema digestório ocorre em águas-vivas e em alguns vermes.
 
·         Sistema digestório completo – o animal apresenta um tubo digestório, que começa na boca, passa pelos orgãos digestórios, e termina no ânus, como em nosso caso.
 
·         Sistema circulatório ausente – a distribuição de nutrientes pelo corpo é realizada diretamente de célula a célula, sem a presença de sangue e vasos sanguíneos (podemos aqui realizar uma analogia com as briófitas, que não apresentam vasos condutores de seiva). As esponjas-do-mar não apresentam sistema circulatório.
 
·         Sistema circulatório aberto – o sangue (que contém oxigênio e nutrientes para a respiração celular) banha diretamente os órgãos, em bolsas, sem o auxílio de vasos sanguíneos, como acontece nos insetos.
 
·         Sistema circulatório fechado – o sangue circula dentro de vasos sanguíneos, adquirindo maior pressão, atingindo células à maior distância, muito eficiente para animais maiores como nós.
 
·         Sistema respiratório ausente – a troca de gases (oxigênio e gás carbônico) é feita diretamente entre as células e o ambiente. Novamente, as esponjas-do-mar, entre ouros, por serem animais muito simples, não apresentam sistema respiratório.
 
·         Sistema respiratório traqueal – é realizado através de tubos, que se espalham por todo o corpo do animal (geralmente insetos). Os tubos maiores, chamados de traqueia, são abertos para fora do corpo. Esses tubos vão afinando à medida que penetram no organismo, até atingir as células e realizarem as trocas gasosas.
 
·         Sistema respiratório cutâneo – as trocas gasossas ocorrem por todo o corpo do animal, que apresenta a pele muito vascularizada (com muitos vasos sanguíneos). É a respiração através da pele, como ocorre com alguns anfíbios.
 
·         Sistema respiratório branquial – ocorre através de brânquias, estruturas capazes de retirar o oxigênio presente na água, presente nos animais aquáticos como os peixes.
 
·         Sistema respiratório pulmonar – ocorre através de pulmões, estruturas capazes de retirar o oxigênio presente no ar, presentes em animais terrestres, como nós.
 
·         Sistema nervoso ausente – o animal não apresenta cérebro, nervos e gânglios. Adivinha que animal não apresenta sistema nervoso: sim, as esponjas-do-mar.
 
·         Sistema nervoso presente – com cérebro ou gânglios nervosos e nervos. Obs.: Gânglios nervosos são aglomerados de neurônios. Alguns animais mais simples não apresentam cérebro e sim gânglios nervosos, desta forma, conseguem obter algum tipo de memória, sensibilidade e até inteligência.
 
·         Desenvolvimento indireto – após o nascimento, o animal apresenta fase larval antes da fase adulta. Ex.: a lagarta e a borboleta.
 
·         Desenvolvimento direto – após o nascimento, o animal apresenta a aparência do aduto, porém em menor tamanho. Ex.: ser humano.

FILO PORÍFERO:
 
ü  Principais representantes: esponjas-do-mar
ü  Habitat: aquático (maiorina marinha).
ü  Sistema digestório: ausente.
ü  Sistema circulatório: ausente.
ü  Sistema respiratório: ausente.
ü  Sistema nervoso: ausente.
ü  Reprodução: assexuada (por fragmentação) ou sexuada (com a formação de gametas).
ü  Desenvolvimento: indireto.

FILO CNIDÁRIO:
 
ü  Principais representantes: água-viva, anêmona-do mar e coral.
ü  Habitat: ambiente aquático; a maioria das espécies é marinha.
ü  Sistema digestório: incompleto.
ü  Sistema circulatório: ausente.
ü  Sistema respiratório: ausente.
ü  Sistema nervoso: presente, rede nervosa simples e espalhada no corpo, sem cérebro e nem gânglios.
ü  Reprodução: assexuada (fragmentação) ou sexuada (formação de gametas)
ü  Desenvolvimento: indireto ou direto, dependendo da espécie.


FILO PLATELMINTO:
 
      Representantes: Planárias e Tênias (verme de corpo achatado).
      Habitat: ambiente terrestre ou aquático ou parasitas.
      Sistema digestório: incompleto, com digestão extra e intracelular.

Obs.: digestão extracelular ocorre fora das células, elas lançam substancias digestivas para do corpo. Digestão intracelular ocorre dentro da célula, elas lançam substâncias digestivas dentro de organelas apropriadas.

      Sistema circulatório: ausente.
      Sistema respiratório: ausente.
      Sistema nervoso: presente, um par de gânglios cerebrais ligados a dois cordões nervosos de onde partem nervos que percorrem o corpo.
      Reprodução: assexuada (fragmentação) ou sexuada (com produção de gametas).
      Desenvolvimento: indireto ou direto, dependendo da espécie.

FILO NEMATEMINTO:

      Principais representantes: Lombrigas e Ancilóstomos (vermes de corpo cilíndrico, arredondado).
      Habitat: ambiente terrestre ou aquático ou parasitas
      Sistema digestório: completo, digestão extra e intracelular.
      Sistema circulatório: ausente.
      Sistema respiratório: ausente.
      Sistema nervoso: presente, anel nervoso em torno de uma faringe com dois cordões nervosos que percorrem o corpo.
      Reprodução: assexuada (fragmentação) ou sexuada (com produção de gametas).
      Desenvolvimento: indireto ou direto, dependendo da espécie.


FILO ANELÍDEO:

      Principais representantes: Minhocas (classe Oligoqueta), Sanguessugas (classe Hirudínea)e Poliquetos (classe Poliqueta). Animal de corpo composto por anéis.
      Habitat: ambiente terrestre ou aquático.
      Sistema digestório: completo.
      Sistema circulatório: fechado.
      Sistema respiratório: branquial em certos poliquetas e cutânea em minhocas e sanguessugas
      Sistema nervoso: presente, cadeia nervosa ventral, com um par de gânglios por anel, gânglios cerebrais bem desenvolvidos.
      Reprodução: sexuada, com espécies hermafroditas (que forma gametas masculinos e femininos).
      Tipo de desenvolvimento: direto ou indireto, dependendo da espécie.


FILO MOLUSCO:

      Principais representantes: Caramujos (classe Gastrópode), polvos (classe Cefalópoda) e mexilhões (classe Bivalve). Animal de corpo mole, com ou sem concha.
      Habitat: ambiente terrestre ou aquático.
      Sistema digestório: completo.
      Sistema circulatório: aberto em mexilhões e caramujos e fechado em lulas e polvos.
      Sistema respiratório: branquial ou pulmonar (dependendo do ambiente em que vive).
      Sistema nervoso: presente, composto por 3 a 4 gânglios nervosos ligados a nervos que atingem todo o corpo.
      Reprodução: sexuada, com espécies hermafroditas (caracóis)
      Tipo de desenvolvimento: direto ou indireto, dependendo da espécie.


FILO ARTRÓPODE:

      Principais representantes: classe crustáceos (camarão, lagosta, siri); classe aracnídeos (aranhas, escorpião, ácaro) e classe insetos (barata, mosca, abelha). Animais com pernas articuladas e exoesqueleto (esqueleto externo ao corpo).
      Habitat: ambiente terrestre ou aquático.
      Sistema digestório: completo.
      Sistema circulatório: aberto.
      Sistema respiratório: branquial, traqueal ou pulmonar (dependendo do ambiente em que vive).
      Sistema nervoso: presente, composto por gânglios cerebrais desenvolvidos e um cadeia nervosa ventral que percorre todo o corpo.
      Reprodução: sexuada.
      Tipo de desenvolvimento: direto ou indireto, dependendo da espécie.


FILO EQUINODERMO:

      Principais representantes: Lírio-do-mar, bolacha-do-mar, ouriço-do-mar, serpente-do-mar, pepino-do mar e estrela-do-mar. Animais com esqueleto rígido de calcário sob a fina pele, quase sempre com espinhos.
      Habitat: aquático (marinhos).
      Sistema digestório: completo.
      Sistema circulatório: sistema vascular aquífero (rede de canais hidráulicos que se ramificam em extensões chamadas pés ambulacrais).
      Sistema respiratório: branquial.
      Sistema nervoso: presente, composto por gânglios cerebrais desenvolvidos e um cadeia nervosa ventral que percorre todo o corpo.
      Reprodução: sexuada.
      Tipo de desenvolvimento: indireto, dependendo da espécie.